Arquivo de abril de 2013

C4 Pallas recebe R$ 10 mil de desconto, mas algumas concessionárias não repassam o valor ao cliente

terça-feira, 30 de abril de 2013

30-04-2013-1

O sedã Citroën C4 Pallas recebeu um desconto de cerca de R$ 10.000 da montadora, e com isso, passa a custar R$ 49.990. Acontece que as concessionárias de São Paulo e Rio de Janeiro não repassaram esse desconto para os clientes imediatamente.

O modelo passou a custar para o cliente até R$ 53.390 nesses estados, ao passo que outras concessionárias já entregavam o carro com os R$ 10 mil a menos prometidos pela montadora.

A própria Citroën do Brasil afirma que discorda da política das concessionárias de não repassarem o desconto do C4 Pallas integralmente aos clientes e disse que o desconto de R$ 10.000 está em vigor em toda a rede de concessionárias. Para isso, será preciso um “policiamento” em algumas autorizadas.

Ainda não sabemos ao certo quais são as unidades que não entregaram o valor do desconto integral aos clientes. Nenhuma concessionária se pronunciou ou deu qualquer explicação. Que feio!

Se estiver procurando um C4 Pallas, então, não aceite pagar mais que os R$49.990 prometidos pela Citroën.

Em ano de recall, chegou a vez da Hyundai

segunda-feira, 29 de abril de 2013

29-04-2013-1

A Caoa (representante da Hyundai no Brasil) convocou quase 25 mil unidades de Tuscon, Santa Fé e Veracruz para recall que começa a partir do dia 20 de maio. O problema é no interruptor da luz de freio.

Além de impedir que as lâmpadas ascendam quando o pedal de freio é acionado, o problema pode impedir que o piloto automático seja desligado. Como todos sabem, todo recall é gratuito.

O chamado abarca os modelos fabricados entre fevereiro de 2008 e junho de 2011. Caso você seja o proprietário de um desses modelos de veículo, conheça os exemplares convocados:

Santa Fé: numeração de chassi de KMHSH81GDBU603061 a KMHSH81GDCU791194;

Tucson: numeração de chassi de KMHJM81BP8U889383 a KMHJN81DP9U994356;

Veracruz: numeração de chassi de KMHNU81CP9U087946 a KMHNU81CP9U090057.

Maiores informações no site http://www.hyundai-motor.com.br/index.php

Abastecer com etanol está cada dia mais caro e só vale a pena em GO e MT

sexta-feira, 26 de abril de 2013

26-04-2013-1

Desde que o motor flex entrou de vez no mercado brasileiro, o preço do etanol não parou de subir. Questão de mercado, claro. Acontece que o preço subiu tanto que parou de ser vantajoso, na maioria dos casos, abastecer com esse combustível.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), apenas nos estados de Goiás e Mato Grosso é vantagem o consumidor optar pelo uso exclusivo do álcool. Em São Paulo, desde o começo de abril, é indiferente.

Do ponto de vista econômico, abastecer com etanol é mais vantajoso do que a gasolina quando o preço for equivalente a menos de 70% do preço do combustível fóssil.

Uma pesquisa da ANP verificou que o preço do etanol equivale, em Goiás, a 68,76% do preço da gasolina e no Mato Grosso, 66,08%. Claro que esses dados equivalem à média dos postos do estado.

O consumidor já percebeu isso. Tanto que há dez anos, quando os motores bicombustíveis chegaram ao mercado, 8 em cada 10 carros usavam exclusivamente o etanol. Em 2012 esse número caiu para 2 em cada 10 veículos.

Entendo a preocupação do governo em relação ao etanol e os incentivos para que o consumidor use esse tipo de combustível, porém só a questão ambiental não será suficiente para convencer o motorista. É preciso que a alternativa seja financeiramente melhor, no mínimo.

Cresce o número de carros abandonados nas cidades brasileiras

quinta-feira, 25 de abril de 2013

25-04-2013-13Não bastasse o trânsito caótico nas grandes cidades brasileiras, um novo problema está se alastrando. O número de carros abandonados aumentou muito no último ano e isso traz algumas consequências para a cidade.

Primeiro que os carros são abandonados em vias públicas e passam anos sem serem retirados. Além do incômodo no espaço, uma carcaça exposta pode virar um verdadeiro criadouro de mosquitos e outros parasitas que transmitem doenças.

Além disso, pegando o caso mais grave, São Paulo, a prefeitura tem que lidar com uma frota de 7 milhões de carros licenciados e também com os abandonados. Segundo a prefeitura, em média oito carros abandonados são guinchados diariamente.

O número pode parecer baixo, “apenas oito”. Em um mês são 240 carros levados ao pátio. Vale lembrar que os carros guinchados já estão em estado de sucata, pois assim estão há anos.

O pátio paulistano se encontra tão superlotados que os carros são colocados um em cima do outro, empilhando mesmo. O problema poderia ser contornado com uma política mais ágil de venda e reciclagem dos veículos abandonados, mas não há legislação sobre o tema. Ou seja, isso vai se arrastar por mais anos.

Muito mais que um simples “alô”

quarta-feira, 24 de abril de 2013

24-04-2013-1

Quando surgiu a tecnologia bluetooth para uso domésticos, uma revolução começou no mercado automotivo. Poder atender e, posteriormente, fazer chamadas de celular sem tirar as mãos do volante, em conectividade com o rádio foi uma novidade e tanto. Mas engana-se redondamente quem acha que a conectividade parou por aí.

Se hoje os celulares são verdadeiros computadores compactos capazes de fazer coisas inimagináveis, era de se esperar que a indústria automotiva trouxesse novidades para acompanhar a possibilidade dos aparelhos. Ainda mais com a preocupação cada vez mais crescente com o conforto.

Segundo a empresa de consultoria de tecnologia ABI Research, de Nova York (EUA), dentro de quatro anos um simples “alô” a bordo terá se tornado conexão com a internet para navegar por satélite (GPS) ou trafegar dados. Isso em 60% de toda frota mundial.

Pode parecer exagero esse número, mas a tendência é essa mesma, a conexão “carro + celular + internet” está cada vez mais simbiótica. Se você tem alguma dúvida, saiba que a Volvo já equipa seu V40 com o “Volvo OnCall”, um serviço que chama socorro automaticamente pelo celular do motorista em caso de acidente, mesmo com o motorista desacordado.

A BMW já oferece desde 2010 o “Teleservices” (anualmente ampliado e melhorado), um serviço de conexão de manutenção programada ou corretiva via interação pela internet entre automóvel, fábrica e concessionária.

Funciona assim: o veículo apresenta manutenção em atraso, item com desgaste ou problema iminente. Rede interna detecta as falhas e automaticamente cria chamada de reparo, por meio da conexão Bluetooth e internet, de qualquer celular a bordo. A chamada chega à BMW, na Alemanha, que componentes necessários e avisa a concessionária do país do cliente. Esta, por sua vez, separa as peças aplicáveis ao carro e entra em contato com o cliente por telefone ou SMS, enviando o orçamento do serviço. Se o cliente aceitar o orçamento, basta agendar dia e hora para manutenção na própria ligação ou por outro SMS.

Claro que esse serviço é previamente acertado com o proprietário na hora da compra, que pode muito bem recusar, afinal essas chamadas tem um custo (menor que de uma ligação normal de celular). A BMW garante que em breve esse serviço terá um chip próprio e vai funcionar mesmo sem um celular a bordo.

O fato é que o simples “atender sem as mãos” evoluiu para serviços cada vez mais completos e ter uma internet no automóvel pode, em médio prazo, mudar todo o modelo de negócio e de pós-venda oferecida pelas concessionárias.