Arquivo de julho de 2013

CET de SP fará “operação volta às aulas” esta semana

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Atenção motoristas de São Paulo, esta semana acabam as férias da maior parte das instituições de ensino da cidade e do estado. Por isso, esteja pronto para voltar a rotina normal de trânsito.

Por isso, a CET está preparando operações especiais ao redor de escolas particulares e públicas. O interessante é que neste ano, a operação abrangerá um maior número de escolas públicas: 88 unidades, o que corresponde a 71% do total (e você está se perguntando por que uma ação da CET – órgão público – sempre atingiu mais escolares particulares, né? Pois é…).

Segundo a CET, o objetivo é desenvolver ações educativas e operacionais de trânsito também na periferia para minimizar o impacto que a volta às aulas causa nas imediações das escolas. A iniciativa inclui colocar agentes para trabalhar na entrada e na saída de estudantes, monitorando o desempenho do trânsito e fiscalizando infrações que possam colocar em risco a segurança dos pedestres. Estacionamento irregular e em fila dupla serão autuados.

Quem leva o filho na escola ou frequenta, por qualquer motivo, instituições de ensino, colabore ao máximo. Para quem acessa tais instituições por transporte público, olhos bem abertos e atenção nas proximidades de colégios.

Agora esfriou: como fica o motor flex?

terça-feira, 30 de julho de 2013

30-07-2013-1

Mesmo depois de 10 anos no mercado e com sucesso absoluto, o motor bicombustível gera dúvidas e desconfianças. Sobretudo quando o assunto é abastecer com etanol.

Primeiramente, é importante saber que não apenas o combustível, mas no frio, muitas peças e componentes precisam de mais atenção. Pneus, bateria, limpadores, cuidados extra com a carroceria…

Mas vamos ao tanque de combustível. É comum sentir dificuldade de ligar o carro abastecido com etanol. Para evitar tal desconforto, é fundamental manter o reservatório de partida, popular “tanquinho”, abastecido com gasolina de qualidade e nova.

Mas não é só o álcool o responsável por tal dificuldade. Mesmo em modelos atuais equipados com sistemas que dispensam a utilização do reservatório de gasolina para injetar o combustível na partida a frio, a vela de ignição tem papel fundamental no sucesso da partida do motor em dias frios. Nesse caso, os veículos com vela desgastada também vão apresentar dificuldade de partida em dias com temperaturas baixas.

Mas se você usa etanol o ano todo e, no frio, decide mudar por completo para gasolina, saiba que não há problema algum. Porém, é necessária a atenção nesta mudança. O ideal é que antes de deixar o carro com motor desligado por um longo período (como uma noite inteira), o veículo rode pelo menos 10 km para que o sistema de controle do motor reconheça o novo combustível presente no tanque e reprograme a estratégia de funcionamento, inclusive durante a partida a frio.

O frio não tem segredos, mas não custa nada dar uma atenção extra para seu veículo.

Coisas que talvez você nem imagine que faz seu carro “beber” mais

segunda-feira, 29 de julho de 2013

29-07-2013-1

O combustível está caro, todos sabem. E se tem algo que ninguém quer é que o carro consuma mais do que deveria. Acontece que alguns detalhes esquecidos por quase todos os motoristas podem influenciar diretamente no consumo do automóvel. Listamos alguns, confira.

Todos sabem que o popular “pé de chumbo” faz o carro beber mais. Ou seja, se você tem a mania de acelerar muito, pode esperar um consumo alto. O mesmo vale para combustível de má qualidade. Um mistura ruim não queima por completo e  gasta mais do que deveria.

Mas outros detalhes também contam. Andar com o carro desalinhado, por exemplo, faz o motor forçar mais e, consequentemente, consumir mais combustível. Quer uma analogia? Você já foi a um supermercado e empurrou um carrinho com as rodas tortas? Para fazê-lo andar, você precisa fazer mais força.

O mesmo acontece com um automóvel desalinhado. Mas com a direção hidráulica, o motorista nem percebe que o carro está puxando para um dos lados e esquece-se de alinhá-lo. Por isso é recomendado uma revisão a cada 10 mil km rodados.

A mesma lógica aplica-se a pneus murchos. O carro que roda com a calibragem abaixo do ideal faz mais força porque tem mais atrito e aderência ao solo. Calcula-se que para cada 4 libras abaixo do ideal, consome-se 15% mais de combustível! Calibrar pneu é de graça e não leva mais de 5 minutos. Vale a pena uma verificação a cada 15 dias; além de poupar combustível, aumenta a vida útil do pneu e forma menos suspensão e direção.

Outra peça fundamental que quase ninguém se importa é a vela do motor. As velas são responsáveis pela faísca que fará a combustão da mistura ar/combustível. Se elas não estão em dia, essa combustão não acontece como deveria e a parte não queimada do combustível é “jogada fora” pelo escapamento.

Sabe quando você quer acender o fogão e a faísca está fraca? Então você aperta o botão por mais tempo e a cozinha fica cheirando gás? É a mesma coisa: o gás que ficou cheirando foi “jogado fora” porque não queimou. Assim é o motor do carro.

Vale a pena trocar as velas a cada 20 mil km (ou no tempo recomendado pela montadora).

Pane elétrica: não se desespere, mas procure um especialista

sexta-feira, 26 de julho de 2013

26-07-2013-1

Ao contrário de alguns pequenos reparos que podem ser feitos por qualquer pessoa, a parte elétrica do veículo é complexa e precisa de um especialista. Caso tenha alguma pane, não tente descobrir sozinho o que ocorreu, prever e reparar um alternador ou uma bomba de combustível é bem difícil.

A melhor saída é sempre a manutenção preventiva. No entanto, é possível (e necessário) ficar de olho em alguns sinais do carro que revelam que a parte elétrica pode nãoe star indo tão bem.

Primeiramente, esteja atento à dificuldade para fazer o carro pegar, queda na intensidade das luzes de cortesia ao dar a partida ou hodômetro apagado. Isso é um sinal de que algo vai mal no carro. Mesmo quando a energia é necessária pra algum componente, outro não pode sofrer com queda de potência.

Algumas baterias possuem um visor que indica a condição de carga. Se ele estiver na cor verde, significa que está em boas condições; um visor preto indica que está sem carga. Neste caso, é importante verificar se o alternador está funcionando corretamente antes de substituir a bateria.

Mesmo com o carro parado e com o motor em marcha lenta, equipamentos elétricos e acessórios originais de fábrica, teoricamente, são suportados pelo alternador e bateria. Mas como é muito comum modificar alguns componentes elétricos, principalmente som automotivo, é importante buscar instaladores e lojas de confiança para dizer ao proprietário se terá a necessidade de redimensionar o alternador da bateria. Caso isso não seja feito, você pode ficar na mão.

Atenção nunca é demais e não toma quase nada do nosso tempo. Vale a pena ficar de olhos bem atentos.

Ford inova e lança linha de… eletrodomésticos?

quinta-feira, 25 de julho de 2013

25-07-2013-1

Vale pela curiosidade. Em setembro a Ford chega a um segmento nada explorado pelas montadoras até agora: o de eletrodomésticos.

É isso mesmo que você pensou. Imagine um ferro de passar “New Fiesta”? Ou um liquidificador “EcoSport”? Ou uma potentíssima batedeira com motor EcoBoost?

Brincadeiras a parte, os eletrodomésticos fazem parte de um novo braço da empresa, a Ford Home Solutions e não terão relação com os carros da marca (talvez algumas linhas de design).

Além do mais, não será a Ford Motors a responsável por fabricar os produtos. Eles serão feitos pela empresa brasileira NKS e licenciados pela marca de automóveis. O acabamento dos poucos produtos revelados é de primeiríssima qualidade (eu, particularmente, adorei a cafeteira).

Isso não deixa de revelar um novo e ousado posicionamento da Ford e de suas vertentes. Uma marca tradicionalmente conservadora que nunca se arrisca em ambientes fora de seu domínio de repente apresenta um segmento para o lar. Interessante e positivo.