Rodízio de veículos: Ruim com ele, pior sem ele

Não parece, mas há 13 anos os paulistanos já convivem com o rodízio de veículos. Odiado por muitos e visto como uma boa solução por outros, o sistema que proíbe carros de circularem de acordo com sua placa e diavelolenta davelolenta semana pode estar perto de seu fim.

Tido como solução, hoje o rodízio perdeu seu efeito graças ao aumento da frota de São Paulo que cresceu 40% desde o ano de sua implantação.

A velocidade média dos veículos caiu 33% no horário de pico da tarde entre 1997, último ano antes da regra, e 2009 no corredor Consolação/Rebouças/Eusébio Matoso, o único monitorado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para avaliar os efeitos da restrição.

Antes da vigência do rodízio, o tráfego fluía a uma média de 17,5 km/h entre as 17h e as 20h. No ano passado, o índice caiu para 11,7 km/h.

A própria CET reconhece que os resultados obtidos estão abaixo do esperado. Uma coisa não há como negar, se o rodízio não existisse, provavelmente estes índices seriam bem piores, fica a conclusão, Rodízio: ruim com ele, pior sem ele.

Fonte: Estado de São Paulo

Tags: , , , , , , ,

Um comentário para “Rodízio de veículos: Ruim com ele, pior sem ele”

  1. Roberto disse:

    estava com duvidas sobre rastreador ai achei na internet este site http://www.rastreadorgps.org la explica tudo sobre rastreadores e todos os tipos espero ajudar na dica

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.