Por que o Peugeot 208 fabricado no Brasil é tão importante pra marca?

04-02-2013-1

Respondendo na lata: porque o futuro da Peugeot no Brasil, e talvez no mundo, depende do sucesso desse carro.

Vamos explicar. O Brasil é o primeiro país a fabricar o modelo fora da Europa. O hatch pequeno fabricado no interior do Rio de Janeiro irá abastecer o mercado latino-americano da Peugeot (exceto Chile, que importa o carro direto da França, pois o país não tem abusivas taxas de importação).

O carro tem a difícil tarefa de melhorar a situação da empresa no Brasil e na América do Sul. Acontece que, como os europeus comprar cada vez menos carros 0 km, esse mercado tornou-se fundamental para a Peugeot.

Hoje a Peugeot encontra-se em queda vertiginosa no mercado, muito por conta dos quatro desempenhos terríveis de venda da Hoggar (fracasso absoluto), do 207 SW (já fora de linha), do sedã médio 408 (que vende nada menos que sete vezes menos que o líder Toyota Corolla) e do belo, porém invisível nas ruas, 508.

Com o 208, considerado como o “carro da vida da Peugeot”, a empresa pretende crescer entre gananciosos 10% e 15% em 2013. Mas a concorrência é alta.

Mas a concorrência é alta nesse segmento chamado de “compacto Premium”. Além de enfrentar o GM Sonic, o Ford New Fiesta e o sucesso do Fiat Punto, vai ser difícil apresentar opções vantajosas pelo mesmo preço do “primo” Citroën C3 completo. Os preços do novo hacth ainda não foram divulgados.

Vamos ver qual é a manobra da PSA (parceria entre Peugeot e Citroën). Podemos ser surpreendidos em 2013, mas acredito ser uma jogada muito arriscada da Peugeot apostar o “carro da vida” em um dos segmentos mais disputados do mercado. Por outro lado, é um dos poucos segmentos que não tem um líder absoluto e ainda não conta com a tradição na hora da compra.

Tags: , ,

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.