Cuidado com o combustível de má qualidade

09-08-2013-1

Ninguém abastece o carro com combustível ruim de propósito. Mas às vezes é bem difícil saber se um posto é confiável ou não. Existem algumas dicas que você pode seguir, mas sempre prefira abastecer nos postos que já conhece.

Um combustível ruim pode danificar algumas peças de seu carro, piora (e muito) o rendimento e ainda resulta em consumo até 30% maior. Mas chegou a hora de abastecer num posto novo, e aí?

Alguns detalhes devem nos deixar atentos. Primeiramente, é mais fácil encontrar gasolina alterada que álcool alterado, portanto, o etanol tende a ser mais seguro (isso não evita que alguns “espertinhos” diluam-no em água).

Quem abastece com etanol, reparece se o densímetro (aquele sifão que mete a densidade o produto para mostrar o quão puro ele é) está do lado da bomba. Se não tiver, é indício de algo muito suspeito. Não custa nada olhar o densímetro, ele tem as intsruões de leitura afixadas ao lado e é de simples entendimento.

A gasolina é um pouco mais complicada porque os instrumentos que fazem análise desse tipo de combustível são caríssimos e muitos postos não os têm!

Em regra geral, no entanto, sente-se uma gasolina de má qualidade logo na saída do posto. O motor responde menos e o acelerador parece mais “borrachudo”.

A gasolina ruim tem gera mau cheiro forte quando queimada e expelida pelo escapamento (só preste atenção, pois se o mau cheiro persistir mesmo em postos confiáveis, o problema pode ser o catalisador do carro).

No geral, uma dica “prática”: a gasolina boa tem cheiro forte, bem forte. Se chegar num posto desconhecido e o cheiro de gasolina for bem perceptível (mas de gasolina mesmo), pode abastecer.

Tem mais dicas? Manda pra gente.

Tags: , ,

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.