Posts com a Tag ‘custo’

Entenda porque o Etanol está tão caro

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Se você utiliza um carro movido a Etanol (álcool) já deve ter percebido - e sentido no bolso - o grande aumento de preço que este combustível tem sofrido no Brasil. O que era antes uma certeza de vantagem na hora de abastecer, agora merece atenção e alguns cálculos: Para valer a pena usar o Etanol, o litro do álcool tem que custar até 70% do preço da gasolina.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), esta alta deve-se as fortes chuvas, a alta do consumo de açúcar na Índia e a venda recorde de veículos. etanol

Desde julho de 2009 o etanol registra seis meses de altas consecutivas. O valor do litro atingiu a média de R$ 1,775 na última semana.

De acordo com a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), o principal motivo são as chuvas que, além de prejudicarem as colheitas, irrigam excessivamente o solo: o excesso de água diminui a concentração de sacarose nos pés, reduzindo a produtividade. Ou seja, falta a matéria prima para a produção do álcool combustível.

Esperamos que o governo tome urgentes e severas medidas para baratear o custo do Etanol, se não vai novamente “por água a baixo” (literalmente) o planejamento do Brasil em fazer de que, em alguns anos, nos tornemos exemplos e uma potência na fabricação e utilização deste combustível.

Fonte: G1

Reajuste nos preços das multas de trânsito

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Muita discussão e temas polêmicos, estes foram os destaques do texto-base (aprovado) sobre a reforma do Código de Trânsito Brasileiro. Confira os itens que geraram a “confusão”:

1-) O valor das multas estarão vinculados ao IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Com isto, as multas que há 9 anos nãomotoentrecarros sofriam reajuste, poderão começar a sofrer.

2-) Em relação à lei seca o que muda é que se prevê punição a quem se recusar a fazer o teste do bafômetro como se tivesse obtido índice não permitido para dirigir.

3-) Proibir que as motos circulem entre os carros. Um dos pontos que vão contra a este item é que seria difícil conseguir fiscalizar todas as situações de infração.

Fonte: UOL

Dutra: Aumento de pedágio

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Novamente informamos sobre um aumento no preço do pedágio, desta vez a rodovia é a Presidente Dutra (que liga São Paulo e Rio de Janeiro). A tarifa mais cara para carros de passeio passará de R$ 8,50 para R$ 8,80.

Confira como ficam as Praças:

Praças de pedágio bidirecionais de Moreira César (km 88 - SP), Itatiaia (km 318 - RJ) e Viúva Graça (km 207 - RJ)

Automóvel, caminhonete e furgão 2 eixos: R$ 8,80
Caminhão leve, ônibus, caminhão-trator e furgão 2 eixos: R$ 17,60
Automóvel com semi-reboque e caminhonete com semi-reboque 3 eixos: R$ 13,20
Caminhão, caminhão-trator, caminhão-trator c/semi-reboque e ônibus 3 eixos: R$ 26,40
Automóvel com reboque e caminhonete com reboque 4 eixos: R$ 17,60
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 4 eixos: R$ 35,20
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 5 eixos: R$ 44,00
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 6 eixos: R$ 52,80
Motocicletas, motonetas e bicicletas à motor 2 eixos: R$ 4,40pedagio123

Praças de pedágio unidirecionais de Parateí Norte (km 204,5 - SP) e Parateí Sul (km 180 - SP)

Automóvel, caminhonete e furgão 2 eixos: R$ 4,30
Caminhão leve, ônibus, caminhão-trator e furgão 2 eixos: R$ 8,60
Automóvel com semi-reboque e caminhonete com semi-reboque 3 eixos: R$ 6,40
Caminhão, caminhão-trator, caminhão-trator c/semi-reboque e ônibus 3 eixos: R$ 12,90
Automóvel com reboque e caminhonete com reboque 4 eixos: R$ 8,60
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 4 eixos: R$ 17,20
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 5 eixos: R$ 21,50
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 6 eixos: R$ 25,80
Motocicletas, motonetas e bicicletas à motor 2 eixos: R$ 2,15

Praça de pedágio bidirecional de Jacareí (km 165 - SP)

Automóvel, caminhonete e furgão 2 eixos: R$ 3,90
Caminhão leve, ônibus, caminhão-trator e furgão 2 eixos: R$ 7,80
Automóvel com semi-reboque e caminhonete com semi-reboque 3 eixos: R$ 5,80
Caminhão, caminhão-trator, caminhão-trator c/semi-reboque e ônibus 3 eixos: R$ 11,70
Automóvel com reboque e caminhonete com reboque 4 eixos: R$ 7,80
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 4 eixos: R$ 15,60
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 5 eixos: R$ 19,50
Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque 6 eixos: R$ 23,40
Motocicletas, motonetas e bicicletas à motor 2 eixos: R$ 1,90

Fonte: Folha de São Paulo

Mudança de cultura

sábado, 30 de maio de 2009

audi

No Brasil os acidentes de trânsito matam 35 mil pessoas por ano e chegam a custar R$ 30 bilhões para o governo. As informações foram divulgadas no seminário internacional de segurança no trânsito, o evento contou com a participação de autoridades francesas que mostraram políticas públicas implementadas em seu país para a redução dos acidentes.

A França já teve problemas com acidentes de trânsito e passou a adotar a questão como de saúde publica. Os principais inimigos eram a falta do uso do cinto de segurança, a alta velocidade e obviamente o consumo de álcool por motoristas, assim como no Brasil.

Para alterar a realidade francesa o maior desafio encontrado foi a mudança de cultura, e para isso foi necessário ter campanhas firmes e contínuas, e o apoio do governo foi fundamental para isso.

O governo francês instalou mais de 2 mil radares móveis e fixos nas rodovias do país, reforçou drasticamente a polícia para fiscalização e aperfeiçoou o sistema de multas, que chegam à casa do infrator em, no máximo, dez dias. Outra mudança importante foi a apreensão do veículo em caso de condução sem habilitação e reincidência de infração de velocidade acima do limite ou uso de álcool.

O Código Brasileiro é completo e atualizado, entretanto, a fiscalização e as questões jurídicas são precárias. O brasileiro ainda sente que não será penalizado caso não respeite o código de trânsito. E caso seja penalizado, ainda se sente como vítima, por exemplo, ao receber uma multa ou por ser autuados por alcoolismo. Existe uma cultura que precisa ser modificada e isso só acontecerá com muita fiscalização e investimento.

Será que vai vingar? Estacionamento grátis em Shoppings e Hipermercados de SP

segunda-feira, 18 de maio de 2009

O que antes circulava como um boato na Internet poderá tornar-se realidade.

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou, nesta quarta-feira (13), um projeto de lei que estabelece a gratuidade do estacionamento em shoppings centers e hipermercados para os clientes que consumirem, no mínimo, o correspondente a dez vezes o valor da taxa do estacionamento.

A proposta está no gabinete do governador José Serra (PSDB), que tem 15 dias para sancioná-la.

Se, por exemplo, a tarifa cobrada pelo estacionamento for de R$ 5 para duas horas, o cliente terá que consumir no mínimo R$ 50 no período para obter a gratuidade.

Caso o cliente consuma R$ 60, ele terá a isenção do pagamento somente nas duas primeiras horas e terá que pagar pela terceira.

Em junho de 2005, quando ainda era prefeito, Serra vetou uma proposta semelhante, alegando que legislar sobre preços da iniciativa privada não era de competência municipal, e sim dos Estados e da União.Estacionamento Shopping

A isenção do pagamento só será válida nas seis primeiras horas em que o cliente permanecer no estabelecimento. Após esse período, o estacionamento cobrará as taxas normalmente utilizadas.

Para conseguir a gratuidade, o cliente terá que apresentar as notas fiscais que comprovem a despesa.

O projeto de lei não estabelece limites nas tarifas dos estacionamentos, o que pode acarretar o aumento dos preços, caso os estabelecimentos queiram compensar a gratuidade.

Esse possível aumento também obrigaria o cliente a gastar mais nos estabelecimentos para conseguir a gratuidade.

Fonte: Uol