Posts com a Tag ‘Educação no Trânsito’

CET de SP fará “operação volta às aulas” esta semana

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Atenção motoristas de São Paulo, esta semana acabam as férias da maior parte das instituições de ensino da cidade e do estado. Por isso, esteja pronto para voltar a rotina normal de trânsito.

Por isso, a CET está preparando operações especiais ao redor de escolas particulares e públicas. O interessante é que neste ano, a operação abrangerá um maior número de escolas públicas: 88 unidades, o que corresponde a 71% do total (e você está se perguntando por que uma ação da CET – órgão público – sempre atingiu mais escolares particulares, né? Pois é…).

Segundo a CET, o objetivo é desenvolver ações educativas e operacionais de trânsito também na periferia para minimizar o impacto que a volta às aulas causa nas imediações das escolas. A iniciativa inclui colocar agentes para trabalhar na entrada e na saída de estudantes, monitorando o desempenho do trânsito e fiscalizando infrações que possam colocar em risco a segurança dos pedestres. Estacionamento irregular e em fila dupla serão autuados.

Quem leva o filho na escola ou frequenta, por qualquer motivo, instituições de ensino, colabore ao máximo. Para quem acessa tais instituições por transporte público, olhos bem abertos e atenção nas proximidades de colégios.

Como a campanha “Conte até 10” nos ajuda no trânsito?

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

12-11-2012-11

O Ministério Público lançou uma campanha intitulada “Conte até 10”. O foco da campanha é alertar os cidadãos de que atitudes violentas tomadas por impulso e raiva são perigosíssimas. A ideia surgiu a partir de um levantamento inédito realizado pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) que revelou que de 25% a 80% (dependendo do estado) dos casos de homicídio entre 2011 e 2012 foram motivados por raiva passageira ou motivo fútil.

Vamos pensar em um exemplo. Diego está dirigindo seu carro, irritado por causa do trânsito recorde na “hora do rush” e do chefe que lhe deu uma bronca por um erro que não cometera. Carlos, em outro carro, lhe dá uma fechada no trânsito.

Situação 1: Diego está cansado de engolir sapos, vai atrás do carro de Carlos pelo simples “prazer” de “devolver” a fechada, nem que para isso desvie um pouco de seu caminho. Consegue fechar o outro rapaz e volta para casa se sentindo melhor (ou não).

Situação 2: Diego está cansado de engolir sapos, vai atrás do carro de Carlos pelo simples “prazer” de “devolver” a fechada, nem que para isso desvie um pouco de seu caminho. Consegue fechar o outro rapaz, mas isso gera um acidente grave e Carlos tem que ser levado às pressas para o hospital. Acontece que é “hora do rush” e ninguém sabe quanto tempo esse “às pressas” pode durar…

Situação 3: Diego está cansado de engolir sapos, vai atrás do carro de Carlos pelo simples “prazer” de “devolver” a fechada, nem que para isso desvie um pouco de seu caminho. Consegue fechar o outro rapaz, mas Carlos anda armado e decide resolver a questão de forma mais violenta.

Precisa dizer mais? Todas as situações descritas são condenáveis. O melhor a se fazer é deixar pra lá e seguir em frente.

A campanha do MP pede para que os cidadãos contem até 10 (ou cem, ou mil, se for preciso) antes de tomar qualquer atitude em momentos nervosos. Serve para o trânsito (que se torna cada vez mais perigoso por conta de reações como a de Diego e a Carlos descritas acima) e serve para a vida. Nunca tome decisões de cabeça quente.

Um veículo pode ser uma arma em determinadas condições. Tenha responsabilidade, respire fundo, ligue o rádio do carro e siga seu caminho. A raiva passa e a vida fica.

Contran define regras para campanhas educativas

quinta-feira, 21 de maio de 2009

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) definiu regras para a realização de campanhas educativas de trânsito promovidas pelos órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito.

O objetivo do Contran é estabelecer padrões para unificar concepções e valores que serão transmitidos por meio das campanhas.

De acordo com a Resolução 314, publicada nesta quarta-feira (20), as campanhas educativas além de promoverem a segurança no trânsito também devem provocar comportamentos éticos e de cidadania na sociedade como um todo.

Segundo a norma do Contran, independentemente dos recursos disponíveis e da mídia utilizada, todas as campanhas deverão ser planejadas.

A Resolução orienta que o planejamento das campanhas seja feito em quatro fases. A primeira é a fase de pesquisa onde se busca indicadores eductransitoqualitativos e quantitativos sobre a percepção da população em relação ao trânsito.

A partir dos resultados da pesquisa a campanha será elaborada de forma que utilize propositivas que ressaltem, preferencialmente, ações positivas. Os aspectos negativos, como a apresentação de violência devem ser tratados com cuidado a fim de se evitar a anodinia.

Como terceiro passo a Resolução recomenda a realização de um pré-teste antes da veiculação da campanha. Nessa etapa o material produzido deverá ser submetido à avaliação prévia do público alvo para verificar se corresponde as expectativas.

Por último, após a veiculação da campanha ao grande público, o órgão deverá ainda realizar avaliação para verificar se os objetivos da campanha foram alcançados.

Fonte: Denatran