Posts com a Tag ‘pneu’

10 mandamentos para preservar o pneu

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Criado pelo americano Charles Goodyear, o pneu surgiu graças à descoberta da vulcanização da borracha após a mistura dela com enxofre a altas temperaturas.

Peça fundamental de contato do carro com o solo, se ele estiver em mau estado ou mesmo com a calibragem errada pode não só comprometer a segurança dos ocupantes do veículo como também prejudicar o desempenho do automóvel.

Para manter sempre seus pneus nas melhores condições de rodagem, aconselhamos que siga estes 10 mandamentos:

1- Calibrar o pneu semanalmente de acordo com a indicação do manual do fabricante do veículo e não de acordo com a concessionária ou com o frentista.

2 - Fazer o rodízio de pneus. Veículos com pneus radiais a cada 8.000 km e veículos com pneus diagonais a cada 5.000 km rodados, utilizando o estepe no rodízio.

3 - Evitar a sobrecarga no veículo. Excesso de peso compromete a estrutura do pneu e aumenta os riscos de estouro ou de alterações estruturais importantes.

4 - Fazer a manutenção preventiva de todo o veículo. Amortecedores, molas, freios, rolamentos, eixos e rodas atuam diretamente sobre os pneus.

5 - Utilizar as medidas de pneus e rodas indicadas pelo fabricante do veículo. As partes do carro foram projetadas para interagirem de forma equilibrada. A utilização de pneus e rodas diferentes altera este equilíbrio.

6 - Alinhar a suspensão e balancear os pneus sempre que o veículo sofrer impactos fortes, na troca de pneus, quando os pneus apresentarem desgastes irregulares, ao serem substituídos componentes da suspensão, quando o veículo estiver “puxando” para um lado ou a cada 10.000 km.

7 - Utilizar o pneu indicado para cada tipo de solo. Rodar na cidade com um pneu destinado ao uso na terra (fora de estrada) provocará perdas no consumo de combustível, na estabilidade e na durabilidade de peças do veículo.

8 - Monitorar o indicador de desgaste da rodagem (TWI). Este indicador existente em todo pneu mostra o momento certo para se efetuar a troca, reduzindo o risco de rodar com o pneu careca.

9 - Não permitir o contato do pneu com derivados de petróleo ou solventes. Estes produtos atacam a borracha fazendo com que perca suas propriedades mecânicas.

10 - Evitar a direção agressiva, com freadas fortes e mudanças bruscas de direção. Nunca ignore a existência de lombadas, buracos e imperfeições de piso. Os melhores pilotos de competição são aqueles que, mesmo rápidos, sabem poupar seus carros e pneus.

Fonte: Pneu Seguro e G1

Como reduzir os efeitos da aquaplanagem

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Aquaplanagem ocorre quando o carro passa numa poça cheia d’água, principalmente quando está em alta velocidade,  o que acaba formando uma película de água entre a roda e o asfalto e o pneu perde o contato com o solo momentaneamente, fazendo com que o carro perca o controle.

Quando este fênomeno ocorrer, deve-se manter a direção firme e evitar freadas ou mudanças bruscas no volante, apenas tire o pé do acelerador e logo você sentirá a direção voltar ao seu controle.

Pneus lisos ou de meia-vida tendem a aumentar os efeitos da aquaplanagem, devido á quase ausência de sulcos, os  quais servem justamente para escoar a água na banda de rodagem.

fonte:Uol

Pneu novo é atrás

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O ideal é trocar os quatro pneus de uma vez, mas como as vezes não é possível comprar os quatro, o ideal é colocá-los a trás.

Segue abaixo alguns motivos:

1 - Melhor resposta nas saídas em veículos de tração traseira;

2 - Melhor aderência em terrenos inconsistentes em veículos de tração trasei

3 - Melhor dirigibilidade e maior segurança em veículo sobreesterçante, que são aqueles com maior tendência de perder a aderência na traseira (geralmente com tração nas rodas de trás), o que é mais difícil de ser controlado;

4 - Otimização dos freios porque a carga sobre o eixo dianteiro pode vir a ser o dobro daquela aplicada no eixo traseiro, o que justifica a necessidade de ter pneus com maior aderência no eixo menos carregado, para melhor distribuir a ação dos freios;

5 - Melhor desempenho em pavimentos de baixa aderência;

6 - Uma perfuração ou avaria num pneu dianteiro é rapidamente constatada e o controle do veículo é facilitado pela direção. Por esta razão, os pneus novos ou os em melhor estado devem ser montados nas posições traseiras onde a percepção de qualquer problema dessa ordem é mais demorada e onde o controle do veículo também é mais difícil;

7 - Nas situações críticas, como por exemplo, em dias de chuva, uma eventual aquaplanagem em curva é muito mais perigosa nos pneus traseiros do que nos dianteiros.

Fonte: G1

Como colocar o estepe

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Alguns modelos existe uma ou duas guias que ajudam a fixar a roda, ficando mais fácil apertar os parafusos ou as porcas, fazendo menos força para encaixar a roda.

Se o carro não tiver essas guias, fica mais difícil para encaixar a roda, pois ira exigir força até encaixar o primeiro parafuso.

Ao colocar os parafusos faça-os em cruz. Coloque um em cima e outro embaixo. Depois de fixados com a mão utilize a chave de roda para terminar o aperto.
Olhe a roda que está trocando de frente, quando estiver com os parafusos afrouxados a roda estará inclinada.

À medida que for apertando os parafusos ela vai ficando reta. Quando não conseguir mais, abaixe o carro e libere o macaco.

Aperte novamente quando o carro estiver com as rodas no chão, nessa parte, será necessária mais força.

Evite ficar curvado, isso pode causar danos a sua coluna. Se ficar em dúvida se a roda está ou não bem encaixada, saia com o carro em velocidade reduzida e quando avistar um posto de combustível, ou mesmo uma borracharia, peça para alguém lhe ajudar e conferir se está tudo em ordem.

Fonte: G1

Manutenção dos Pneus

terça-feira, 16 de setembro de 2008


O motorista deve acompanhar quanto tempo leva para o pneu perder sua pressão, normalmente, ela deve durar até duas semanas quando o veículo é rodado sem peso extra. Se houver uma carga a mais, o automóvel exige uma calibragem específica, que está descrita no manual do proprietário. Os pneus com pressão inferior provocam um desgaste maior nas bordas da banda de rodagem, e os com pressão superior prejudicam a suspensão e o equilíbrio do automóvel.

Caso o motorista perceba que existe uma perda de ar fora do normal, ela pode estar sendo ocasionada por algum furo, deformação na roda ou vazamento na válvula.É necessário manter em dia também os serviços de profissionais especializados, como alinhamento, balanceamento e rodízio dos pneus. Este último, é essencial para o total aproveitamento dos mesmos.

O pneu deve ser dispensado quando o desgaste dele chegar ao limite, e o ideal é que a substituição seja feita por pares, com as mesmas dimensões e colocando primeiro no eixo traseiro.

Fonte: Charme ao Volante