Posts com a Tag ‘Uno Mille’

Palio Fire passa a ser o carro mais barato do Brasil

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

15-01-2014-1

Com as novas leis obrigando uso de ABS e airbag em todos os carros nacionais, o Mille saiu de linha. Dessa forma, a Fiat  passou a ter o Palio Fire como carro de entrada. E baixou seu preço.

Até 2013, o Mille era o carro de entrada da Fiat e o Palio partia de R$24.570. Ao ser promovido a primeiro carro, o Palio, com ABS e airbag, parte de R$23.990. Ainda é possível comprar o Mille em estoque de 2013 por R$22.540, mas não faz mais parte do portfólio da montador.

Se você está se perguntando como o Palio ficou mais barato depois de ganhar os itens de segurança obrigatórios, a resposta é simples. Sem o Mille, o preço anterior do Palio é alto para um carro de entrada, então a montadora decidiu baixá-lo.

Mas não era possível baixar antes? Claro que era! Mas aí entra o maior responsável pelo preço de objetos: o mercado. Ele vendia bem a 24 mil, logo a Fiat não tinha motivos pra baixar o preço, já que contava com um carro mais barato.

Fiat Mille também diz adeus

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

07-01-2014-1

Como a lei que obriga todos os veículos a saírem de fábrica com ABS e airbag a partir do dia primeiro de janeiro de 2014 foi mantida, o Fiat Mille, antigo Fiat Uno, também diz adeus ao público brasileiro.

O carro e popularizou a ideia de carro popular (sem trocadilhos) será descontinuado após 30 anos no mercado. A exemplo da Kombi, que também se despede, o projeto do Mille é atrasado demais para suportar ABS e airbags.

Com pouquíssimas mudanças ao longo de sua trajetória, o então Uno Mille foi substituido pelo moderninho e colorido Novo Uno. Mas o popular original da Fiat fazia tanto sucesso, que foi amntido com o nome Mille.

Assim como a VW, a Fiat prepara uma versão de despedida para o compacto: o Grazie Mille. Ele será restrito a 2.000 unidades. Mas chegará às lojas por R$31.200, superando o preço do Novo Uno.

Ainda que tenha de série itens inéditos para o Mille, o valor abusivo se dá mais pela questão afetiva de quem gosta do carro.