Arquivo da Categoria ‘Educação no Trânsito’

Sobre em 28% o número de indenizações pagas pelo DPVAT

quinta-feira, 23 de maio de 2013

23-05-2013-1

O dado é preocupante. A quantidade de indenizações pagas pelo DPVAT subiu em 28% no primeiro trimestre de 2013 em relação ao mesmo período de 2012.

Como se sabe, o DPVAT cobre três casos: mortes, invalidez permanente e despesas hospitalar. Segundo a Seguradora Líder DPVAT, responsável pelo seguro obrigatório do país, 68% dos casos foram de invalidez permanente.

Outro número nada animador é a quantidade de acidentes envolvendo motocicletas: 70% do total, mesmo que a frota de duas rodas no país só representa 24% da frota total.

O perfil dos assegurados também aprece constante em relação a sexo e idade: 77% dos acidentes envolveram membros do sexo masculino e 51% dos assegurados gerais tinham entre 18 e 35 anos.

De acordo com o diretor de relações institucionais da Seguradora Líder DPVAT, Márcio Norton, o aumento do número de indenizações levanta a discussão sobre ações para reduzir este cenário. “Infelizmente, estamos verificando este aumento no número de indenizações ano após ano. Faz-se necessário um maior controle dos motoristas para coibir o uso de bebidas e a velocidade excessiva para todos os tipos de veículos, realização de campanhas educativas e esclarecimentos sobre direção segura são importantes para mudar este quadro.”

Até quando vamos ver isso se repetir, brasileiros? Caos do trânsito, falta de respeito, ignorar o próximo, encarar a rua como lugar de disputa e não de convívio, sem contar a fatal parceria quase inseparável de bebida e direção. Até quando?

MINI lança campanha inteligente para conscientizar sobre o perigo de escrever SMS ao volante

quarta-feira, 8 de maio de 2013

08-05-2013-1

Esta é uma campanha que poderia muito bem ser aplicada no Brasil, mas a iniciativa partiu da MINI do México. A campanha, intitulada “palavras podem machucar”, atenta para o risco que é escrever mensagens de texto pelo celular enquanto dirige.

Pode parecer que não, mas no México estima-se que cerca de duas mil pessoas morrem mensalmente por consequência dessa mania. Isso sem contar os feridos, que chega a 750.000 mensais.

Para chocar e conscientizar, a campanha consiste em espalhar pelas ruas da Cidade do México letras de 2,5m “machucadas”, apresentando fraturas e sangramentos. Ainda foi criado um aplicativo para smartphones chamado The Word Blocker que, através do GPS do aparelho, identifica a velocidade que o motorista está e bloqueia o recebimento de SMS.

O remetente recebe uma notificação de que o destinatário está dirigindo e não pode ler agora. O app ainda possui um ranking que calcula quantos quilômetros o motorista percorreu sem mexer no celular. Campanha muito válida e importante que deveria ser aplicada aqui no Brasil.

Veja o vídeo abaixo para entender melhor:

Como a campanha “Conte até 10” nos ajuda no trânsito?

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

12-11-2012-11

O Ministério Público lançou uma campanha intitulada “Conte até 10”. O foco da campanha é alertar os cidadãos de que atitudes violentas tomadas por impulso e raiva são perigosíssimas. A ideia surgiu a partir de um levantamento inédito realizado pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) que revelou que de 25% a 80% (dependendo do estado) dos casos de homicídio entre 2011 e 2012 foram motivados por raiva passageira ou motivo fútil.

Vamos pensar em um exemplo. Diego está dirigindo seu carro, irritado por causa do trânsito recorde na “hora do rush” e do chefe que lhe deu uma bronca por um erro que não cometera. Carlos, em outro carro, lhe dá uma fechada no trânsito.

Situação 1: Diego está cansado de engolir sapos, vai atrás do carro de Carlos pelo simples “prazer” de “devolver” a fechada, nem que para isso desvie um pouco de seu caminho. Consegue fechar o outro rapaz e volta para casa se sentindo melhor (ou não).

Situação 2: Diego está cansado de engolir sapos, vai atrás do carro de Carlos pelo simples “prazer” de “devolver” a fechada, nem que para isso desvie um pouco de seu caminho. Consegue fechar o outro rapaz, mas isso gera um acidente grave e Carlos tem que ser levado às pressas para o hospital. Acontece que é “hora do rush” e ninguém sabe quanto tempo esse “às pressas” pode durar…

Situação 3: Diego está cansado de engolir sapos, vai atrás do carro de Carlos pelo simples “prazer” de “devolver” a fechada, nem que para isso desvie um pouco de seu caminho. Consegue fechar o outro rapaz, mas Carlos anda armado e decide resolver a questão de forma mais violenta.

Precisa dizer mais? Todas as situações descritas são condenáveis. O melhor a se fazer é deixar pra lá e seguir em frente.

A campanha do MP pede para que os cidadãos contem até 10 (ou cem, ou mil, se for preciso) antes de tomar qualquer atitude em momentos nervosos. Serve para o trânsito (que se torna cada vez mais perigoso por conta de reações como a de Diego e a Carlos descritas acima) e serve para a vida. Nunca tome decisões de cabeça quente.

Um veículo pode ser uma arma em determinadas condições. Tenha responsabilidade, respire fundo, ligue o rádio do carro e siga seu caminho. A raiva passa e a vida fica.

Dicas para se comportar na estrada

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

11-10-2012-1

Feriado está aí e, se você vai viajar, já deve ter checado os itens básicos do carro, como freios, parte elétrica e pneus. Os documentos também estão em dia. Mas vale a pena relembrar alguns comportamentos que o piloto deve ter na estrada, principalmente quando esta estiver lotada.

É recomendado viajar com os faróis ligados mesmo de dia. Ver e ser visto é obrigatório em todo trajeto. Se for ultrapassar, certifique-se que o trecho permite, tem boa visibilidade e que o veículo da frente está te vendo. Ligue a seta e a mantenha ligada durante a ultrapassagem. Antes de ultrapassar um veículo longo, acene com os faróis ou a buzina antes de começar a manobra.

Se encontrar neblina pela estrada, jamais use o farol alto. Isso atrapalha a visibilidade. O correto é usar farol baixo e, se tiver, farol de neblina.

Mantenha sempre uma segurança segura do veículo da frente. Se estiver rodando a 80 km/h, são necessários 40 metros de distancia do carro da frente para que uma frenagem de emergência não resulte em uma colisão. Se estiver rodando a 100 km/h, essa distância sobe para cerca de 60 metros. São aqueles famosos “dois segundos de distância”.

Quando encontrar animais na pista ou no acostamento, reduza e sinalize para o veículo de trás, pois existe a possibilidade de o animal atravessar, inesperadamente, na sua frente. Com o carro devagar, você evita uma frenagem brusca.

Lembre-se que todos os integrantes do veículo devem usar os cintos. Leve uma água, mas só beba com o veiculo parado. Nunca dirija com sono, se estiver cansado, passe a chave para algum amigo ou pare para dormir. E respeite sempre os limites de velocidade, não existe motivo para correr, a menos que você não faça questão de chegar vivo ao seu destino.

Boa viagem.

Álcool e direção, uma péssima combinação

terça-feira, 9 de outubro de 2012

09-10-2012

Esse é o assunto mais repetido por inúmeros meios de comunicação. Ninguém tem um argumento plausível para defender a relação “bebidas + direção”. Ainda assim, parece que a gravidade do problema não entra na cabeça do motorista brasileiro.

Mesmo com toda informação e propaganda, uma pesquisa realizada pela associação dos DENATRANs afirma que mais de 60% dos acidentes de transito acorrem com pessoas que haviam ingerido bebidas alcoólicas. E mais: acidentes de trânsito que envolvem motoristas embriagados é o maior responsável pelas mortes de jovens no Brasil.

Vamos, então, derrubar alguns mitos que envolvem o álcool, sempre tendo o bom senso a frente de tudo.

A primeira mentira em relação ao álcool é que ele seja uma substância estimulante. Na verdade, o álcool é uma droga depressiva que pode induzir ao sono. A sensação de estímulo que ele traz nada mais é que uma perda de inibição do sujeito.

A ação depressiva do álcool no sistema nervoso central faz com que o alcoolizado não consiga realizar tarefas que exijam alguma capacidade física ou mental, como conduzir um veículo.

Outro mito é que o álcool sai rapidamente do organismo, por isso que alguns acreditam que parando de beber uma hora antes de dirigir basta para uma condução segura. Cerca de 90% do álcool ingerido é absorvido pelo corpo em uma hora e transportado para a corrente sanguínea. Porém a eliminação pode levar de seis a oito horas.

A crença de que o suor ajuda a eliminar o álcool é verdade. Mas é importante saber que apenas 2% do álcool do corpo é eliminado dessa forma. O fígado é responsável por 90% e a respiração por 8% da reestruturação do organismo.

Tomar um banho frio ou um café forte diminui o efeito do álcool?

Na verdade, como já foi dito, o álcool é uma droga depressiva. Um banho frio ou um café forte vão dar estímulos no corpo e deixar o sujeito mais acordado. Isso contrasta com um dos efeitos do álcool: o sono. Porém isso não influencia em nada a ação do álcool no organismo. Resumindo: teremos um bêbado acordado, mas tão bêbado como antes.

Só existe um remédio para a embriaguez: o tempo. O único jeito de passar os efeitos do álcool é esperar. Enquanto espera, deixe que alguém dirija.

Bebeu? Deixe o ego e a autoconfiança de lado e entregue a chave para um amigo. Alguns seguros já oferecem o serviço que busca o condutor embriagado e leva-o para a casa (escreveremos sobre isso em outra ocasião).

Portanto, não existe desculpa para beber e pegar o carro. Não seria preciso nenhuma “lei seca” se usássemos o bom senso. Respeite a sua e a vida dos outros. Quem dirige embriagado mata e morre.