Arquivo de novembro de 2008

Carro acorda motorista

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Empresas estão investindo em segurança, e um dos novos sistemas são os que despertam o motorista sonolento.

Foi criado um sistema pela Volvo chamado Driver Alert, que quando senti que o motorista começou a cochilar, ele emite um alarme audível e também um ícone exibindo uma xícara de café pisca no painel.

A Saab criou o Driver Attention Warning System, que utiliza um alarme de voz, se o motorista estiver “pescando”, o carro anuncia “você está cansado”, a seguir por “você está perigosamente cansado! Pare quando for mais seguro!”. O banco do motorista também vibra para ajudar a desperta-lo.

Empresas de seguranças estão aperfeiçoando sistemas como estes. Medidas adicionais, como a emissão de jatos de ar na nuca do motorista, volantes que vibram, e uma direção automática que assume o controle do carro quando você cochila, logo serão encontradas nos sistemas de alerta.

A pergunta que todos devem está se fazendo, é como o carro sabe quando o motorista está cochilando?

Um dos sistemas analisa o seu modo particular de direção e cria seu perfil. Ele combina esse perfil com a sua situação de direção atual, ou seja, como você está dirigindo, há quanto tempo está dirigindo num trecho, a distância do carro da frente e se você está se mantendo em sua faixa. Se o seu comportamento não bater com o seu perfil, o sistema reconhece que tem algo que não está certo e é acionado.

Outro sistema utiliza um software de reconhecimento facial para determinar se você está ficando adormecido. Câmeras analisam o repouso dos músculos faciais, os padrões do piscar de olhos e por quanto tempo os olhos ficam fechados entre as piscadas. Quando o sistema reconhece que você não está mais em condições para dirigir ele é ativado para despertá-lo.

Essa tecnologia entra para caminhões e logicamente para carros, mas dificilmente você vai ter esse sistema em pouco tempo, então sempre fique alerta, e quando tiver cansado pare o carro e descanse. Algumas horas “desperdiçadas” compensam do que sua vida desperdiçada.

Fonte: Uol

Cuidado para não esquentar

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Está chegando o verão, e é importante ficar atento aos cuidados com o automóvel para não ficar na mão.

Somente o calor não é causador de nenhum problema especifico no veículo, mas a falta de uma manutenção adequada junta com o excesso de calor é o que pode contribuir para o surgimento de problemas.

Pois o calor potencializa os problemas mais existentes. A influencia de temperatura mais alta fica por conta apenas da oscilação de pressão nos pneus.

É muito importante uma manutenção da qualidade e quantidade de água adequada no radiador, cuidados com o freio, ventoinha e ar-condicionado.

A falta de cuidado com a água pode gerar o empenamento das válvulas do cabeçote, o que pode acarretar em sérios problemas no motor.

Verifique o fluído de freio, deve ser trocado a cada 10 mil quilômetros rodados ou anualmente, pois se ele supera o limite de aquecimento, pode gerar a perda total do sistema de frenagem.

Troque o filtro anti-pólem, além da higienização do o ar-condicionado uma vez por ano. O ideal é ligar o ar-condicionado pelo menos uma vez por semana, por dez minutos, para que os componentes de borracha como juntas, mangueiras e anéis fiquem lubrificados.

Se usar o ar frio por muito tempo, ligue o ar-quente do ar condicionado por alguns minutos para o excesso de água depositado na caixa de ar seja eliminado.

Fonte: Uol

Criança segura

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Para você que são pais e mães de primeira viagem, ou já não é o primeiro filho, mas sempre se perguntou como transportar sua criança corretamente no carro, segue a forma correta.

Cadeira Conversível ou Bebê-Conforto: Usado do nascimento até um ano ou até os 9 quilos. A instalação dessa cadeirinha deve ser voltada para o vidro traseiro, de costas para a direção do carro.

Cadeira de Segurança: Própria para crianças de 1 a 4 anos e de 9 a 18 quilos. É utilizada na posição vertical e voltada para a frente, no banco traseiro.

Assentos de “Booster” ou Elevação: ideal para crianças que tenha de 4 a 10 anos e entre 18 a 36 kg. É colocado no banco traseiro e com o cinto de três pontas.

Cinto de Segurança de Três Pontos do Veículo: a criança deve ter acima de 36 kg e ter altura superior a 1,45m, tendo até 10 anos de idade. O dispositivo de segurança é o próprio cinto de segurança de três pontos, que garante proteção no ombro, peito e quadris.

Mesmo que for até a padaria que fica no quarteirão de sua casa, a criança sempre deve estar com os equipamentos de segurança adequados ao corpo.

Leia sempre as instruções da cadeirinha e o manual do carro.

Fonte: Charme no Volante

Escolhendo uma oficina

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Quando o carro quebra, bate ou até a luz do farol queima, e você não pretende levar seu carro em uma concessionária, você tem que procurar uma oficina mecânica.

Mas como saber se essa oficina que você vai deixar seu precioso carro é de confiança, faz o serviço correto, cobra um preço justo e não engana o cliente?

Segue abaixo algumas dicas para você não ser enganado:

- Pegue referências sobre a oficina e os serviços prestados por ela, consultando antes clientes que já tenham executado algum trabalho no local.

- Consulte antes o escritório do Procon de sua cidade para saber se existe alguma reclamação sobre a empresa no órgão. Em São Paulo, essas informações podem ser obtidas pelo telefone 11-3824-0446.

- Faça uma pesquisa para comparar preços e a qualidade dos serviços oferecidos.

- Veja se a oficina é organizada, limpa e se possui as ferramentas e equipamentos básicos adequados para a execução do reparo.

- Alguns serviços, como manutenção de injeção de combustível, exigem equipamentos eletrônicos especiais e só podem ser executados por oficinas especializadas.

 

- Verifique se a oficina tem funcionários treinados na manutenção de carros nacionais e importados. Um bom indicativo é o certificado ASE, estampado no uniforme dos profissionais e na fachada da oficina. Para obter esse certificado, os reparadores têm de passar por um rigoroso teste de conhecimentos.

- Exija um orçamento prévio, no qual estejam discriminadas detalhadamente as peças a serem usadas, além do valor da mão-de-obra, condições de pagamento e data de início e o término dos serviços. O seu prazo de validade deve ser de, no mínimo, dez dias.

- Pergunte sobre uma eventual cobrança pela emissão do orçamento. O orçamento costuma ser cobrado em algumas oficinas, mas pode ser gratuito em caso da aprovação do serviço.

- Faça um levantamento de preços das peças mais caras em lojas de autopeças e revendas autorizadas e depois os compare com os preços levantados pela oficina.

- Verifique a possibilidade de você mesmo comprar essas peças para a oficina.

- Caso isso não seja permitido, fique atento se a oficina vai substituir realmente o componente danificado por um novo.

- Não aceite peças recondicionadas. De acordo com o artigo 21 do Código de Defesa do Consumidor, o componente só pode ser remanufaturado com a autorização do cliente.

- Depois do conserto, exija a devolução de todas as peças que forem substituídas.

- Antes de deixar o carro na oficina, peça um documento relacionando as condições gerais do veículo no ato da entrega, fazendo constar o estepe, ferramentas, extintor, a quilometragem e o nível de combustível.

- Não deixe nada dentro do carro, como guarda-chuva, casacos. Retire objetos de uso pessoal, como óculos, caneta, cartão de zona azul, fitas ou CDs.

- Ao retirar o veículo, faça uma inspeção geral no carro e compare com as condições em que este se encontrava ao entrar.

- Verifique se há riscos na pintura, raspadas nos pára-choques, amassados na carroceria ou equipamentos avariados, além de graxa ou furos produzidos por cigarro nos bancos. Cheque a quilometragem rodada e o nível de gasolina.

- Faça então uma inspeção do serviço executado. Se o serviço foi de funilaria, observe o reparo à luz do dia. Se foi mecânico, dê algumas voltas próximo à oficina para testar o carro.

- Verifique também se o serviço foi executado de acordo com o que foi combinado.

- Só retire o carro se tudo estiver em ordem. Em caso de problemas, registre o motivo pelo qual o carro não foi retirado em um documento da oficina.

- Não havendo entendimento entre as partes, registre um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima ou faça sua queixa em um escritório do Procon.

- O consumidor tem direito a uma garantia legal de, no mínimo, 90 dias para qualquer serviço executado, mesmo que a oficina estabeleça um período menor.

- Se o serviço foi malfeito, o cliente poderá exigir -com base no Código de Defesa do Consumidor- uma nova execução do serviço ou a restituição da quantia paga atualizada ou, ainda, o abatimento proporcional no valor do serviço.

- Exija sempre nota fiscal discriminada contendo tudo o que foi relacionado no orçamento, assim como os dados do veículo e das partes reparadas.

- Em caso de dúvidas, procure o Procon de sua cidade para mais informações. Veja a lista dos escritórios do Procon nas principais capitais na seção Consumidor.

Fonte: Procon-SP

Manchas no banco

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Manter o interior do carro limpo, não é preciso de muito esforço e tão pouco exige muito tempo. Muita gente faz do carro uma extensão da academia, padaria e escritório, carregando um monte de coisas e às vezes acontecendo alguns acidentes que resultam em manchas no bando ou no carpete.

Quando derramar algum líquido no banco ou carpete, é preciso agir rápido, retire os resíduos que puder. Use um papel absorvente, como por exemplo, um lenço de papel. Mas somente isso não vai deixar seu carro como antes, é preciso de um cuidado extra para que tudo volte a ser como antes. Existem alguns danos que requerem mais atenção, como os exemplos abaixo:

Risco de caneta: Pegue um pano, umedeça com vinagre branco e pressione a região afetada. Não esfregue, apenas pressione. Não tendo vinagre disponível, use álcool ou acetona. Depois lave a área com água e sabão neutro. Pronto, novo de novo.

Mancha de gordura: Aplique talco sobre a área afetada, deixe agir um pouco, depois limpe com água quente e sabão neutro.

Mancha de chocolate: Endureça o chocolate que está no banco utilizando uma pedra de gelo, em seguida com um pano embebido de vinagre esfregue a região, depois limpe com água e sabão.

Mancha de fruta: Use uma solução caseira formada por uma mistura de água comum com água oxigenada.

Mancha de leite: passe um pano com a mistura de vinagre branco e álcool, sendo que a mistura terá metade de cada produto. Depois basta passar água e sabão neutro.

Sujeira de animais: Água e sabão neutro resolvem, mas nesse caso é preciso ser muito rápido, pois o maior problema vai ser o mau cheiro impregnado no carro.

Chiclete grudado: Endureça com uma pedra de gelo, retire o chiclete com uma espátula com cuidado. Ou tente usar água quente e sabão.

Se seu carro tem bancos de couro, o procedimento mais adequado é utilizar apenas água e sabão neutro, se for uma sujeira mais grossa, utilize um pouco de água quente.

E nunca encharque o banco do carro tentando limpar, mas se fizer uma limpeza mais severa, vai ser preciso secar muito bem, caso contrário poderá surgir mofo e fungos.

Tente não comer no carro entre outras coisas, para evitar acidentes!

 

Fonte: G1