Calibragem com Nitrogênio

A calibragem dos pneus requer alguns cuidados. Para acertar na pressão, o primeiro passo é que eles estejam frios.

Outra dica é que a calibragem seja feita com nitrogênio ao invés de ar comprimido, já que esse gás mantém a pressão constante em todas as temperaturas e por mais tempo, fazendo com que os pneus sofram menos desgaste.

O nitrogênio é um gás inerte, não inflamável, ou seja, ar seco sem oxigênio. Esse gás mantém a pressão do pneu constante em todas as temperaturas e se ocorrer alguma alteração na pressão, ela será bem pequena.

A grande vantagem do nitrogênio em relação ao ar comprimido é que ele não se dilata, o que ocorre bastante com o ar comprimido, uma vez que em sua composição a umidade é elevada, ou seja, quando aquecido ocorre evaporação e em conseqüência perda da pressão.

Já o nitrogênio mantém a calibragem por mais tempo, facilitando a vida do motorista que vai precisar verificar a pressão menos vezes, se comparado ao uso do ar comprimido.

O resultado disso é que o pneu pode sofrer menos desgaste, já que a pressão se manterá dentro dos limites estabelecidos pelo fabricante.

O uso do nitrogênio é muito empregado em competições, em que a performance exige precisão de segundos. Mas vale ressaltar que a manutenção do pneu é que garante sua longevidade, ou seja, mesmo com nitrogênio a inspeção da pressão é necessária, embora em tempos mais espaçados.

É importante efetuar a calibragem dos pneus quando ainda frios, ou seja: o carro deve estar parado há uma hora, no mínimo, ou não ter rodado mais de três quilômetros em velocidade reduzida.

Feito isso, é importante ficar atento quando for necessário corrigir as pressões com os pneus quentes.

Nessas circunstâncias é preciso tomar as seguintes precauções indicadas pela marca Michelin: não desinflar o pneu, aumentar em 4 PSI (0,3 BAR) a pressão recomendada pelo fabricante e respeitar as diferenças de pressões entre eixos. Assim que tiver a oportunidade, verificar as pressões com o pneu frio.

Fonte: G1

Tags: , , , , ,

10 comentários para “Calibragem com Nitrogênio”

  1. Emerson disse:

    Essa é a segunda vez que eu ouço essa coisa de nao variar pressão com temperatura… Mas ainda nao entendi! Todos os gases obedecem ao PV=nRT então eu achei que, tendo em vista que o ar atmosférico tem o n aproximadamente 29 e o nitrogênio tem o n igual a 28, que a variação entre ar comprimido e nitrogenio fosse infima.
    Eu acreditava que o nitrogênio era usado por não conter oxigênio e assim não correr o risco de explodir o pneu em caso de aumento excessivo de temperatura.

  2. Rafael disse:

    Não é a primeira vez que leio uma coisa como essa. Não existe nenhuma substância que não dilate ou comprima durante uma variação de temperatura. Qualquer, vou repetir, qualquer substância se dilata com o aumento da entalpia. Então, por favor, não diga que o nitrogênio não dilata . Outra coisa, PV=nRT. Se aumentar e temperatura, vai aumentar o par PV. Então, o volume varia sim. Essas afirmações estão equivocadas. Explica-me ou devoro-te.

  3. luis disse:

    Caros Rafael e Emerson

    O nitrogênio é inerte e não contém água nem oxigênio (agentes corrosivos e oxidantes). Por isso não reage com nenhuma substância do pneu e mantém sua pressão muito mais estável.

    Esta seria a explicação científica do negócio.. se funciona ou não, só testando e comentando aqui conosco depois!!

    Obrigado pela participação!!!

    Luis
    Equipe Dirigindo Seguro

  4. Já houve esse serviço disponível nos postos aqui no Rio de Janeiro mas parece que não deu muito certo. De uma hora para outra não havia mais oferta de nitrogênio. Não tive a oportunidade de usar. Um abraço. Drauzio Milagres.

  5. Paulo MArinho disse:

    O pneu uma vez calibrado com nitrogênio, pode ser calibrado novamente com o ar comprimido? Isso altera alguma coisa na vida útil do pneu e rodas?
    grato,
    Paulo

  6. Mauro Moreira disse:

    Tenho calibrado com N aqui em Florianopolis ha mais de um ano e é claro que funciona, nos EUA custa cerca de 40 dólares (para calibrar 4 pneus), aqui em Floripa custa R$ 0,75 por pneu (Postonienkotter com br). A calibragem se conferida dois ou tres meses depois praticamente não muda, 1 ou 2 libras, a não ser se houver vazamentos. No meu caso havia vazamento em um pneu dianteiro, o resto ficou praticamente sem alteração. Não tem comparação, pneu bem calibrado 24 horas por dia, na chuva, no asfalto quente, no frio, não quero nem saber das teorias da quimica e da física, na prática funciona e muito bem.

  7. ROQUE ALVES DE SOUZA disse:

    PODEMOS SOLICITAR UMA PESQUISA AOS ORGAOS COMPETENTES PARA QUE VEJA AS VANTAGENS E QUE DECIDAM ATRAVES DE TESTES E QUE VENHA A SER OBRIGATORIO O USO DE NITROGENIO EM TODOS OS VEICULOS AUTOMOTORES. ( CARROS - MOTOS -AVIOES )
    E UMA QUESTAO DE SALVAR VIDAS ( SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR)
    NAO PODEMOS ESQUECER QUE AS VANTAGENS SAO PARA TODOS.

  8. Marcio disse:

    Se não há variação do volume com a temperatura, por que eu preciso calibrar com pressões diferentes quando está quente ou frio?!

    O que parece interferir mesmo no processo é a presença do vapor de água, que ao se condensar, muda a pressão do pneu…

  9. Valter disse:

    Calibro o pneu da minha moto só com nitrogenio e notei que a variação de pressão é muito menor.
    Eu e um amigo fizemos o teste em um percuso de 106KM ambos com uma cb 300 a minha moto porem com os pneus calibrados com nitrogenio e o dele com ar comprimido a calibragem inicial foi 28 na dian e 33 na trans. em ambos. As motos sofremos uma variação de temperatura em torno de 28 a min. e 36 a max, ja proximo do destino porem na chegada os pneu da minha minha moto estavão estaveis com 28 e 33 e os dele ja sofrerão diferenças estavão com 27.5 e 31.6 e ai Rafael e Emerson como me explicar isso.
    Minha coclusão foi a sequinte independe do que falão o nitrogenio é muito melhor que o ar comprimido, pois mantem os pneus mais frios e diminuem o descaste

  10. Lucas disse:

    Onde posso calibrar com nitrogênio na zona leste - moro no Belenzinho -SP.

    Ouvi falar e se é bom, vamos experimentar.

    Grato.

    Lucas.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.