Posts com a Tag ‘derrapagem’

Controle de estabilidade (ESP)

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Conhecemos o ABS, mas e o ESP (Electronic Stability Program, ou programa eletrônico de estabilidade), o que é e para que serve?

O ESP corrige eventuais falhas de pilotagem, evitando que o veículo derrape e mantendo uma trajetória segura.

Além das funções específicas para controle de estabilidade, ele reúne, num único módulo, três funções: ABS, TCS e EBD (Electronic Break force Distribution, que calcula a máxima pressão do freio que pode ser aplicada sem risco de travamento do eixo traseiro, com base nos efeitos da variação da carga do veículo).

O sistema é controlado por um processador central, um computador cujo software tem a capacidade de interpretar o comportamento do veículo e detectar se há risco de perda da estabilidade.

Para fazer a leitura dos dados, o processador central conta com o auxílio de um conjunto de sofisticados sensores.

Em cada uma das rodas há um sensor de velocidade, responsável por informar se há risco de travamento ou giro em falso.

No centro do veículo existe um sensor de aceleração lateral da carroceria e de sua rotação em torno do seu próprio eixo vertical (YAW), e finalmente existe um outro sensor instalado no volante de direção, que indica a intenção de direção do motorista.

Com as informações enviadas pelos sensores, o processador central compara o ângulo e a velocidade de esterçamento imposta pelo motorista ao volante com a resposta do veículo, medida pelo sensor de aceleração lateral e YAW.

Havendo diferença entre as duas medidas, o ESP, sem nenhuma intervenção do motorista, poderá reduzir o torque ou aplicar o freio em uma ou mais rodas para estabilizar o veículo.

Se, por exemplo, apesar de estar com o volante totalmente virado para a esquerda, o veículo estiver ameaçando derrapar para a direita - o que indicaria uma situação de desvio de emergência sem controle numa situação normal -, o ESP vai atuar freando uma ou mais rodas de forma a garantir que o veículo siga a trajetória imposta pelo motorista ao volante, e conseqüentemente sua estabilidade.

Isso ocorrerá toda vez que houver risco de perda da estabilidade.

Fonte: Bosch

Situação de risco

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Apesar de dirigir com todo o cuidado, seguir a sinalização e prestar atenção, o motorista está sujeito a surpresas todo o tempo do trajeto. Imprevistos podem acontecer, por isso é preciso reagir com rapidez e com calma em uma situação como essa.

Abaixo segue algumas das situações de risco e como evitar o pior:

A aquaplanagem pega muita gente de surpresa, com a pista molhada uma fina camada de água pode se formar entre os pneus e o solo fazendo com que o carro perca o contato com o chão e assim o automóvel pode deslizar sem controle algum do motorista. Deparando com uma condição dessas, o melhor a fazer é tirar o pé do acelerador gradativamente. Não pise na embreagem, é importante manter o veículo engatado. Não pise no freio nem vire o volante bruscamente, é importante manter o veículo em linha reta. Ao perceber que o carro está perdendo o contato com o solo, alivie o pé do acelerador e vire suavemente a direção para direita e para esquerda até sentir que o contato com o chão foi restabelecido.

Outra situação de risco é a derrapagem, nos carros com tração nas rodas dianteiras a tendência é sair de frente, indo reto em uma curva, por exemplo. Se ocorrer isso, não pise no freio, tire o pé do acelerador e gire o volante para dentro da curva com a intenção de retomar a trajetória da pista.

Com os automóveis com tração nas rodas traseiras, a tendência é sair de traseira, a parte dos fundos do carro escorrega para o lado de fora da curva. Se ocorrer, tire o pé do acelerador e gire o volante para o lado contrário da curva até que o automóvel recupere a trajetória e fique reto para a curva.

Os buracos estão sempre presentes nas estradas e nas cidades, é importante desviar deles, mas tomando cuidado para não comprometer a segurança. Se perceber que não vai conseguir desviar de um buraco, mantenha o volante reto e não pise bruscamente no freio. Se o pneu estourar ou esvaziar com o carro em movimento, não pise no freio. Provavelmente a direção vai puxar para um dos lados, tenha calma e procure manter o veículo em linha reta. Tire o pé do acelerador e deixe o carro perder velocidade, quando tiver o controle do carro indique a parada de emergência e saia para o acostamento.

Fonte: G1