Posts com a Tag ‘farol’

Época de neblina exige atenção redobrada do motorista

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Fenômeno comum nesta época de frio a neblina é um fenômeno climatológico que preocupa muito os motoristas que vivem nas estradas ou saem muito cedo de casa.

Nesta época, quando as manhãs são mais nebulosas, há a necessidade de atenção redobrada, e a iluminação dos faróis deve estar regulada para garantir melhor visibilidade,neblina2 que com a neblina pode chegar a menos de mil metros.

Confira algumas dicas para dirigir com segurança:

1-) Veículos que não contam com o auxílio dos faróis de neblina devem manter acesos o facho baixo do farol principal. Isto garante a sua segurança e a do motorista que vem no sentido contrário.

2-) Os veículos que possuem os faróis de neblina, o correto é mantê-los acesos juntamente com as lanternas.

3-) Não usar farol alto

Fonte: Uol

Peugeot convoca recall do 307

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

peugeot-307

Vocês já devem estar cansados de abrir aqui e ler sobre recall. Se servir de alívio eu também já estou cansado de escrever sobre isto e olha que estamos apenas no segundo mês do ano. Mas como é informação, lá vai mais um.

A Peugeot anunciou nesta segunda-feira (1º) recall do modelo 307, ano-modelo 2008 e 2009, nas versões hatch e sedan, por problema no programa eletrônico de gestão da iluminação externa que pode provocar um apagamento pontual dos faróis sem a solicitação do condutor.

Os proprietários dos modelos convocados - estima-se que sejam 13.739 - devem procurar a rede de concessionárias autorizada da marca a partir do dia 1/02 para atualização eletrônica do programa.

Confira os chassis envolvidos:

Peugeot 307 ano/modelo 2008 8G040306-8G077624 e Peugeot 307 ano/modelo 2009 9G001610-9G036908.

Maiores informações pelo tel. 0800 703-2424 ou pelo site www.peugeot.com.br.

Fonte: G1

Peugeot convoca Recall do 307 CC e 307 SW

terça-feira, 17 de novembro de 2009

peugeot_logo

Mais uma empresa convoca recall, desta vez foi a vez da Peugeot chamar os proprietários dos modelos 307 CC e 307 SW (ano 2007) para manutenção.

A montadora informou que as 3.440 unidades comercializadas precisarão passar por inspeção do sistema de acendimento dos faróis. O Recall acontecerá para evitar que a posição do comando de acionamento da iluminação externa do veículo não seja detectada, devidamente, pelo sistema de gestão, podendo provocar um apagamento pontual dos faróis de forma involuntária. Para maiores informações ligue: 0800 703 2424.

Confira os chassis envolvidos:

307 CC ano 2007: de VF33BRFJ27S009244 e VF33BRFJ27S010192 a VF33BRFJ27S011467. Ano 2008: de VF33BRFJ28S000029 a VF33BRFJ28S011332;

307 SW SW ano 2007: de VF33HRFJ47S012770 e VF33HRFJ27S009341 a VF33HRFJ27S013562. Ano 2008: de VF33HRFJ28S000001 e VF33HRFJ48S000007 a VF33HRFJ28S011440 e VF33HRFJ48S011360.

Fonte: Car Magazine

Cuidado com a neblina

quarta-feira, 15 de julho de 2009

O que não falta nesta época do ano é neblina nas estradas. Para evitar acidentes é necessário redobrar a atenção e manter o sistema de iluminação em dia.

Mesmo que a lâmpada não esteja queimada, se o filamento estiverneblina_na_estrada envelhecido ou deformado é preciso trocá-la. Outro ponto que merece atenção são os vidros e as lentes plásticas dos faróis já que a abrasão pode danificar esses componentes e então a iluminação poderá ofuscar a visão de quem segue no sentido oposto.

Se o carro possuir faróis auxiliares é mais um fator de segurança para os dias de neblina, mas atenção: é um erro chamar todos os faróis auxiliares de faróis de milha. Na verdade, existem os de neblina, que espalham a luz para os lados, e os de longo alcance, que projetam a iluminação para frente - estes são os de milha.

Os de neblina devem ficar acesos juntamente com as lanternas ou faróis baixos. Como o facho de luz é largo e projetado por baixo da neblina, o motorista vê a pista iluminada. Se o alto for utilizado ao mesmo tempo, a névoa refletirá a luz e prejudicará a visão.

Com relação aos de longo alcance, eles só podem ser utilizados quando o farol alto estiver ligado, pois possuem facho estreito, de alta intensidade, e são regulados paralelamente ao solo. Por isso, só devem ser ligados em rodovias.

Fonte: Estadão

Dúvidas sobre o farol xenônio

sexta-feira, 6 de março de 2009

O post de hoje é dedicado ao leitor Gustavo Carvalho do Carmo que nos escreveu com uma dúvida: Os faróis de xenônio foram “proibidos” para instalação particular ou é possível regularizar a instalação dos kits no Detran do seu estado. Como é esse processo?

Pois bem, o DETRAN diz que:

“No que se refere aos faróis de descarga de gás (xenônio), as Resolução exigem dispositivo de limpeza e de regulagem. Tanto os veículos saídos de fábrica a partir de janeiro de 2009 quanto os que forem modificados para o uso deste tipo de farol deverão possuir esses dispositivos.”

“Já os veículos fabricados e modificados com o farol de descarga de gás antes do dia 1° poderão continuar circulando, no entanto, no caso dos veículos modificados é necessário que tenham cumprindo as normas previstas na Resolução 292 que trata das modificações de veículos. A informação referente à modificação deve constar no Certificado de Registro do Veículo (CRV) e no Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRV).”

Para realizar alterações nas características do veículo o proprietário deve antes solicitar autorização do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Somente após a autorização é que alteração pode ser efetuada.

Depois de realizada a modificação, o veículo deverá passar por uma inspeção de segurança veicular em uma Instituição Técnica Licenciada (ITL). Essa ITL é licenciada pelo Denatran e acreditada pelo Inmetro.

Caso o veículo seja aprovado na inspeção, a ITL emitirá o Certificado de Segurança Veicular (CSV). O Certificado deverá ser entregue ao Detran, que incluirá a alteração na documentação do veículo.

Depois destas etapas seu carro estará autorizado a utilizar o farol xenônio. Em resumo, não está totalmente proibido colocar, mas é necessário passar por todos estes tramites para que o carro circule “legalmente”, sem correr o risco de levar multas ou pontos na carteira.

Mais sobre o xenônio aqui.

Fonte: DENATRAN