Posts com a Tag ‘furto’

Reembolso de IPVA a proprietários de veículos roubados

sexta-feira, 16 de abril de 2010

48,7 mil proprietários de veículos roubados no Estado de São Paulo tiveram uma ótima notícia no dia de ontem (15/04). O governo de São Paulo anunciou que irá devolver R$ 12,8 milhões de IPVA (Imposto sobre a Propriedaderoubo_de_carro de Veículos Automotores) aos donos de carros que foram lesados após pagarem o imposto.

A medida vale para os carros roubados em 2009 e o reembolso será proporcional ao número de meses em que o motorista ficou sem o veículo e os valores ficarão à disposição do proprietário –na data da ocorrência– no banco Nossa Caixa.

Segundo a Secretaria da Fazenda do Estado as devoluções serão pagas em quatro lotes até o final de abril. Se o roubo ocorreu no primeiro trimestre de 2009, a data de reembolso será 15 de março. Se ocorreu no segundo trimestre, o reembolso será em 31 de março. Roubo no terceiro trimestre, 15 de abril. Por fim, se teve o carro roubado no quarto trimestre, a data de reembolso será em 30 de abril.

Agora alguns detalhes importantes:

1-) O contribuinte que estiver inadimplente não poderá resgatar o valor enquanto houver a pendência.

2-) O contribuinte precisa ter feito o boletim de ocorrência para ter o benefício.

3-) No caso de recuperação do veículo, volta a ser devido o IPVA no exercício em que ela ocorrer, proporcionalmente aos meses que restarem até o final do respectivo ano.

4-) As datas de liberação dos recursos são, de acordo com a época do roubo ou furto.

Para consultar o valor da restituição, o contribuinte deve acessar a área do IPVA no site da Secretaria da Fazenda.

Fonte: Folha de São Paulo

Seguro, quanto pagar?

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Para se chegar ao valor do seguro, a seguradora faz um calculo que envolve informações sobre o veículo, a região de tráfego, as características de uso do veículo, seus condutores e sua proteção.

A seguradora verifica se o carro possui um índice elevado de roubo, geralmente os modelos mais caros, os mais vendidos e os esportivos são os alvos dos bandidos.

Também verificam se as peças de reposição são achadas com facilidade e com qual preço. Ainda é verificado o preço da revenda, para sabem se em caso de recuperação do veículo será possível compensar o valor pago por ele, pela seguradora.

O perfil do condutor também é um fator relevante no cálculo. As mulheres levam vantagem, quanto mais velha menor o valor. Com filhos, menor ainda.

Se o proprietário vive em um local que registra muitos casos de roubos, ou furto de carro, o preço será alterado para cima.

Os seguros mais caros são:

- Carros esportivos
São os preferidos para os ladrões usarem como carro de fuga. Além disso, quem tem um carro veloz certamente gosta de andar rápido, aumentando os riscos de acidente.

- Picapes, especialmente as a Diesel
São muito visadas por ladrões. Os modelos maiores tem alto custo de manutenção, estimulando o mercado de peças roubadas. São muito usados por traficantes de drogas.

- Carros importados
As peças são todas cotadas em dólar, encarecendo os consertos.

Dois lados
Para as seguradoras, o melhor perfil é o das mulheres, casadas, com mais de 40 anos de idade e que usam garagem. O pior é o dos homens, solteiros, com menos de 25 anos e que deixam o carro na rua. Para um Mille, as cotações são as seguintes:

Fonte: Carro Web

Rastreador será obrigatório

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

De acordo com a resolução de nº 245 do Contran, todos os veículos nacionais e importados deverão incorporar, de fábrica, dispositivos de rastreamento via satélite a partir de agosto. A medida tem como objetivo principal a redução dos casos de roubos e furtos de veículos no País.

O equipamento vira instalado no carro, mas caberá ao proprietário contratar ou não o serviço de rastreamento.

Eu achei muito boa essa resolução, pois nos dias de hoje para achar o veículo roubado é muito difícil, e quando achado depois de algum tempo ele pode está destruído, faltando de rodas até peças.

Eu utilizo um RASTREADOR muito bom, dá até pra ver pela internet onde está seu carro.

Acho que uma precaução de segurança não precisa ser “obrigação”. Todos que possuem veículos usados deveriam instalar um rastreador. Além de maior segurança não fica caro.

Abraço!

Roubo de carro

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Hoje em dia os ladrões não se preocupam se está de dia ou de noite para roubar um veículo.

Veja como foi fácil levar esse carro em poucos segundos.

Todos os lugares onde paramos nossos veículos estão sujeitos a algum tipo de furto.

E para encontrar o carro é muito complicado. Uma opção é ter um seguro que vai cobrir o valor do seu carro se não encontrado. Mas se for encontrado todo depenado, você terá q ficar com o mesmo carro.

Eu já fui roubado uma vez e depois de um mês recebi a notícia que encontraram meu carro. Foi até o local retira-lo e tive uma péssima surpresa.

Meu carro estava sem as rodas, todo riscado, e sem varias outras peças. Na parte interna o banco estava rasgado e todo imundo.

O Seguro cobriu, mas não ficou como eu gostaria.

Hoje em dia tenho seguro e rastreador, pois se me roubarem novamente posso encontrar meu veículo na hora, fora outros benefícios do rastreador como monitorar onde está meu carro se por acaso eu empresta-lo, ter desconto no seguro e também poder bloquear o carro quando eu quiser.

Quem se interessou pelo rastreador, esse é o que eu uso: CLIQUE AQUI.

Abraço!

O seguro vai pagar?

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Segue abaixo as maiores dúvidas dos segurados:

O CARRO É USADO NO INTERIOR, MAS FOI ROUBADO NA CAPITAL
No interior, o índice de roubos é menor, então o seguro é mais barato. Essa diferença pode levar o segurado a cair na tentação de informar que o endereço de pernoite do carro é o do sítio do fim de semana, não a residência na cidade. Isso é fraude e a seguradora pode não pagar a indenização.

O SEGURADO MUDOU DE ENDEREÇO, MAS NÃO AVISOU A SEGURADORA
Isso pode ocorrer quando o motorista renova automaticamente sua apólice e só informa a seguradora depois que o sinistro ocorreu. Na maioria das vezes, não existe má-fé, mas mesmo assim a seguradora pode se recusar a pagar a indenização.

EMBRIAGADO, O SEGURADO BATE O CARRO
A seguradora precisa de uma prova de que o motorista estava bêbado para que possa alegar embriaguez e não pagar a indenização. O teste de bafômetro realizado pelo policial serve, mas se o motorista se negar a fazer o teste, o policial pode fazer constar a recusa no boletim de ocorrência e informar que havia aparência de embriaguez. Caso contrário, o não-pagamento da seguradora pode ser contestado judicialmente.

O CARRO PASSOU A NOITE FORA DA GARAGEM E FOI ROUBADO                                                                               A maioria das seguradoras indeniza o segurado se for possível provar que o carro dormia todos os dias na garagem e passou só uma noite fora. Porém, se ela provar que o carro dormia na rua habitualmente, pode se recusar a pagar. Algumas apólices têm uma cláusula adicional, que diz que a seguradora não é responsável se o carro estiver fora de uma garagem entre a meia-noite e 6 horas da manhã, por exemplo.

O CARRO ESTÁ COM IMPOSTOS OU PARCELAS DO SEGURO ATRASADOS
Se o veículo for roubado antes de o seguro ser quitado, o que falta pagar será descontado da indenização. O mesmo vale para os impostos atrasados e multas não pagas.

O SEGURADO VIAJOU PARA O URUGUAI E BATEU OU FOI ROUBADO                                                                       A grande maioria das apólices só vale no território nacional. Quem viaja para o exterior precisa se garantir, pois os sinistros que ocorrem depois da fronteira só estão cobertos se isso constar na apólice. Caso contrário, o segurado não tem direito à indenização.

UM MANOBRISTA BATEU O CARRO
Por lei, as empresas que atuam com manobristas em São Paulo precisam ter um seguro, que deve ser acionado em caso de roubo ou acidente (e elas são obrigadas a pagar a franquia). O problema é que há várias empresas que atuam na informalidade e não têm seguro. Nesses casos, o segurado tem de fazer um boletim de ocorrência e acionar sua seguradora, que vai então cobrar da empresa responsável pelo manobrista.

UM AMIGO OU A NAMORADA LEVOU O CARRO EMPRESTADO E HOUVE UM ACIDENTE
Se o amigo for maior de 18 anos, tiver habilitação válida, não estiver embriagado e usar o carro eventualmente, a seguradora pagará. Se algum desses quatro pré-requisitos não for cumprido, ela pode se recusar. Mas se a namorada usa seu carro uma vez por semana, isso configura uso habitual. Para ter direito à indenização, é preciso incluí-la como motorista e pagar mais por isso.

O SEGURADO RESOLVEU ASSUMIR A CULPA NO LUGAR DE OUTRO MOTORISTA QUE NÃO TEM SEGURO
Um motorista sem seguro arrebenta o carro de outro que tem. O segurado assume a culpa pelos dois acidentes, mas o outro paga a franquia. Parece um acordo bom para os dois lados, só que isso é fraude. Para evitá-la, as seguradoras podem reconstituir os acidentes e verificar se há divergências com o que o segurado informou.

Fonte: Quatro Rodas