Posts com a Tag ‘lombada’

Você conhece a lombada “dedo-duro”?

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) apresenta uma novidade que não será bem vinda pelos motoristas de caminhões e ônibus fretados. A entidade começou trocar parte das 144 lombadas eletrônicas da cidade.

Além de flagrar motoristas que dirigem acima da velocidade máxima permitida ou tentam furar o rodízio, os novos aparelhos podem detectarlombadamisterios ônibus fretados e caminhões que estejam circulando em áreas proibidas.

Outra novidade é o design das “novas” lombadas. Como você pode ver na foto, ele possui lâmpadas piscantes que ajudam a leitura do limite de velocidade permitido, outro detalhe que chama a atenção é que elas são mais compactas que os modelos anteriores.

A estimativa é que até fevereiro cerca de 51 destas lombadas estejam em funcionamento.

Fonte: Veja

Conheça a Lombada inteligente

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Poucas coisas são tão chatas e prejudiciais ao carro quanto as lombadas. Se você mora no interior, pior ainda… por alguma razão os governantes preferem colocar lombadas ao invés de utilizar semáforos.lombada

Dois designers, Jae-yun Kim & Jong-Su Lee, inventaram um artefato que seria a solução deste terrível problema: a Lombada inteligente, que se “achata” quando o carro passa por cima.

O funcionamento é simples, a lombada possui retratores, que se abrem se o impacto sobre eles for pequeno o suficiente. Ou seja, se você passar lentamente, o peso do carro achataria a lombada, fazendo com que você nem sinta o “impacto”. Nem é preciso falar o que acontece se você passar correndo, né?

Definitivamente seria uma ótima idéia, nosso carros agradecem!

Fonte: Gizmondo

Ihh, fui multado!

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Desde segunda-feira, São Paulo está sem 40 radares que fiscalizam o trânsito. O contrato com a empresa que fornece o serviço terminou e a nova contratada ainda não começou a operar.
O Brasil possui radares em todos os estados, cidades e estradas. Implantados e monitorados pelos departamentos de trânsito ou até mesmo pelas prefeituras de cada município.Existem radares de velocidade (móveis ou fixos), radares para monitorar os faróis, corredores de ônibus e até mesmo placa de veículos. A tecnologia chegou às cidades para fiscalizar, mas já existe um aparelho que vem dentro dos  GPS dos automóveis que funciona como um “anti-radar”, avisando o condutor quando há um radar próximo.

 Mas como os radares calculam a velocidade dos veículos?

São três os sistemas utilizados para o registro de infratores por excesso de velocidade:

Radar fixo de velocidade: Na pista são instalados três sensores, também chamados de laços detectores, que formam um campo magnético. Eles estão ligados a um computador e à câmera fotográfica, geralmente instalada em um poste na lateral da pista. Quando o carro passa pelo primeiro sensor, o campo magnético é interrompido até que a massa metálica do veículo passe pelo segundo. Automaticamente o sistema calcula a velocidade do carro de acordo com o tempo de interrupção desse campo magnético. Caso a velocidade seja superior à permitida, a imagem captada pela câmera é digitalizada e registrada em um disco rígido, no instante em que o carro passa pelo terceiro sensor.

Radar móvel de velocidade: São duas as opções de equipamento móvel. Um funciona com dois feixes de laser, o computador dispara a câmera em função do tempo de interrupção dos feixes quando o carro passa, no caso de a velocidade ser superior à permitida. O outro modelo emite uma microonda oblíqua em um ângulo de 20 graus em relação à pista. O computador, então, calcula o tempo que essa onda leva para fazer o percurso. Os modelos móveis utilizam uma máquina fotográfica convencional e são capazes de fiscalizar até três faixas ao mesmo tempo. Porém não  há o registro da imagem caso os sensores identifiquem mais de um carro passando pelo ângulo de fiscalização no momento do disparo.

Lombada eletrônica: A câmera é instalada em um totem, aproximadamente 15 metros à frente dos sensores, e a imagem registrada é da frente do veículo. O motorista sabe se está sendo multado, pois logo abaixo da câmera está um indicador digital com a velocidade do carro no momento exato em que passou pelos sensores. Se houver infração, uma luz vermelha se acende e um flash é disparado.

Lembre-se que os radares existem por falta de colaboração da população no trânsito que burlam as leis e arriscam a segurança de todos no trânsito. Dirija com cuidado e respeite os limites de velocidade.

Fonte: G1