Posts com a Tag ‘Motos’

Leilão no DETRAN-RJ, no próximo dia 26!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Detran RJ

O momento tão esperado está chegando, dia 26 o DETRAN brinda a todos com mais um leilão. Ao todo estarão disponíveis 87 veículos, entre carros e motos. O mais legal é que você pode, além de dar lances no local, fazer tudo de casa. Basta acessar o site www.cevera.com.br no dia do leilão.

Ele será realizado às 13 horas na Estrada São Pedro de Alcântara, 453, bairro de Deodoro, Rio de Janeiro.
Quem quiser conferir de perto os veículos antes do leilão, é só ir até o endereço citado acima nos dias 24 e 25 de novembro.

Qualquer dúvida ligue para: (21) 3369-8166 e 2505-9954.

Fonte: Detran-RJ

Leilão de Automóveis Detran

terça-feira, 1 de setembro de 2009

01-09leilao-detran-0011

Mais um leilão acontece entre os dias 31/8 até 2/9, dessa vez serão arrematados 487 veículos entre carros, motocicletas, kombis e vans. Boa parte dos veículos está em bom estado de conservação e são relativamente novos. Desses 305 tem menos de 10 anos de fabricação e 159 foram produzidos há menos de 5 anos.

Os destaques da vez ficam por conta dos dois Fiat Idea 2006 e quatro Fiat Siena 2006. Além destes, veículos como o Citröen Xsara 2001, e os importados Chrysler Neon 1998, BMW 325 1994, e o Toyota Corolla 1995 também deverão atrair as atenções dos participantes.

O leilão acontecerá no pátio da Rodovia Washington Luis, 13.175, em Duque de Caxias, a partir das 10 horas da manhã. Os compradores também terão a facilidade de obter seu veículo por meio de lances no site do Leilão.

Vale lembrar que ao arrematar um veículo o novo proprietário não herda as dívidas referentes ao proprietário anterior. Se o valor do arremate for suficiente para pagar o IPVA, as multas, o serviço de reboque e as diárias do depósito, o saldo restante será entregue ao antigo proprietário. Mas se, ao contrário, o valor do arremate não cobrir todas as despesas, o antigo dono terá o nome incluído na dívida ativa do estado.

Somente são leiloados veículos, com emissão de documentos e manutenção do registro no Detran, motos, carros e que estejam em condições mínimas de segurança para trafegar.

Uso de rastreador será obrigatório

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Foi deliberado pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) as normas para o início da implantação do dispositivo antifurto nos veículos novos.

Os veículos que participarão da primeira etapa de implementação do sistema serão de consumidores convidados e funcionários das montadoras. Todas as montadoras participarão com os diversos tipos de veículos, motocicletas, automóveis, caminhões, ônibus, entre outros.

A Operação será finalizada em 31 de janeiro de 2010 e garantirá o perfeito funcionamento do sistema ao consumidor final.

O sistema antifurto está previsto na Lei Complementar 121, que criou o Sistema Nacional de Prevenção, Fiscalização e Repressão ao Furto e Roubo de Veículos e Cargas. Com o sistema, não será necessário contratar o serviço de nenhuma prestadora, pois a função de bloqueio e rastreamento virá de fábrica disponível para uso.

A ativação da função de localização não será obrigatória e caberá ao proprietário decidir sobre a habilitação. Caso o proprietário não tenha ativado e venda o carro, o novo proprietário deverá escolher habilitá-lo (ou não) contratando o provedor de serviço que preferir.

tabela

Enquanto a demorada implantação não acontece, se proteja utilizando um serviço de rastreamento contratado, nossa dica vai para o serviço de proteção da Graber.

 

Fonte: Denatran

As motos no Brasil

quinta-feira, 4 de setembro de 2008


As motos viraram uma alternativa para o transporte individual, essa opção fez com que a frota aumentasse em 34% no último ano em SP, e esse é um mercado que está em crescimento desde 1994 (com exceção do ano de 1999). O aumento trouxe também impactos negativos, como a maior incidência de acidentes e vítimas envolvendo motos, num ritmo até maior do que o aumento da frota. A moto é hoje o veículo que mais produz vítimas em SP, sendo que 71% dos acidentes com motos envolvem feridos que necessitam de cuidados hospitalares; enquanto outros automóveis esta proporção cai pra 7%.Essa situação não é exclusiva de SP, sendo assim, é importante entender como ocorrem esses acidentes para evitá-los. Para isso, vou usar um estudo sobre acidentes envolvendo motos feito na Europa, apesar da realidade brasileira não ser parecida com a européia, é interessante conhecer os resultados de um estudo específico sobre o assunto:1. A maior parte dos acidentes ocorre em cruzamentos.

2. As colisões ou choques de motos foram principalmente com automóveis.

3. O fator predominante para ocorrência dos acidentes foi o ser humano, tanto os motoristas como os motociclistas.

4. As principais falhas humanas observadas envolvem não perceber a existência do outro elemento antes do acidente , e tomar uma decisão errada, como não reduzir a velocidade e avançar em um cruzamento.

5. A vestimenta, calçado e capacete foram efetivos para prevenir ou reduzir as lesões.

6. O garupeiro, apesar de contribuir pouco com a ocorrência dos acidentes, quando contribuiu foi por movimento repentino que provocou o desequilíbrio do motociclista.

Junto com o estudo, ficam as dicas para os motociclistas:· Ser visto é fundamental, por isso, circule sempre com o farol aceso, roupas e capacetes de fácil visualização. Coletes e acessórios refletivos também são muito importantes.

· Evite circular entre filas de veículos.

· Utilize proteção individual, como vestimentas, luvas, calçados e capacetes adequados, estes fixados adequadamente.

· Cuidado extra com os pneus, verificando sempre a banda de rodagem e a pressão adequada, a manutenção de todo o sistema de freios e de iluminação e sinalização; ou seja, farol, lanternas, luzes das setas e de freio.

· Atenção à via e suas condições, principalmente àquilo que pode te desequilibrar como pista molhada, faixas escorregadias, etc. Reduza a velocidade tome mais cuidado.

· Importante frear da maneira adequada, tendo cuidado para não bloquear as rodas.

Fonte: Cesvi

Seguraça para o garupeiro

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Depois de toda a polêmica da lei da proibição dos garupeiros nas motos está na hora de dedicarmos um espaço desse blog a segurança deles, que sempre nos acompanham em nossas longas viagens ou até mesmo no trânsito do dia-a-dia.Levar alguém na garupa muda completamente à dirigibilidade da moto, então é necessário termos alguns cuidados extras quando damos carona a alguém. O aumento do peso deixa as acelerações e frenagens mais lentas, nas acelerações o peso vai pra trás e a moto empina mais facilmente, na curva pode derrapar a dianteira e nas frenagens o peso do garupa é jogado para a frente atrapalhando o movimento do piloto e comprometendo a frenagem.

O garupeiro deve colaborar com o motociclista e sempre acompanhar com o seu corpo o movimento da moto. Se a pessoa que você estiver dando carona não estiver acostumada a andar de moto, dirija devagar, pois se for necessário fazer uma curva em alta velocidade e ela não inclinar o corpo é possível que ambos se machuquem. O ideal é que o garupeiro segure no corpo do piloto e se incline juntamente com ele nas curvas.

Em termos de segurança quando há um passageiro atrás, o uso do freio traseiro é mais seguro que o dianteiro. É importante também evitar a aceleração repentina, se não tiver como evitar o garupeiro deverá “colar” seu corpo ao do motociclista, para evitar as “cabeçadas”.

É importante lembrar que só a partir dos sete anos de idade é permitido andar na garupa, sempre utilizando os equipamentos de seguranças, especialmente o capacete. Não respeitar a idade do garupeiro é considerado infração gravíssima, e pode acarretar em multa de R$ 127,69 e sete pontos na carteira do motociclista.

  Dicas para o garupeiro

1. Nunca subir ou descer da moto sem o conhecimento do condutor, pois ele poderá se desequilibrar.

2. Ajudar nas manobras de entrada e saída de estacionamento, sobretudo se for necessário engrenar a marcha ré.

3. Nas freadas e arranques, apoiar-se nas alças e não no condutor.

4. Ajudar nas curvas, espreitando sempre por dentro e apoiando-se, fortemente, em ambas as pedaleiras. A transferência de peso para as pedaleiras torna a moto mais manobrável.

5. Apoiar mais fortemente nas pedaleiras quando a moto circula no trânsito.

Fonte: ABRAM